Notícias

Profecia associada ao Covid-19 diz que haverá “um terceiro grande despertar no mundo”

Ao longo da história, eventos catastróficos, desde os fenômenos naturais como pandemias aos praticados por seres humanos, como às duas grandes guerras mundiais, são associados à profecias, tanto bíblicas como extrabíblicas, ou seja, ditas por pessoas nos tempos atuais. O mesmo está ocorrendo em relação ao Covid-19.

Muitos líderes cristãos entendem que ao falar de guerras, rumores de guerras, terremotos e “pestes” (doenças) em vários lugares, Jesus Cristo profetizou no livro de Mateus sobre uma sequência de acontecimentos, os quais devem ocorrer até o último Grande Dia do Senhor, que será a sua segunda vinda.

Antes disso, portanto, o mundo vivenciará diversos eventos em uma escala de intensidade, onde quanto mais próximo ficarmos da vinda de Cristo, maiores serão os sinais do seu retorno. Assim, a pandemia do Covid-19 seria um exemplo desses acontecimentos.

“Jesus disse que essas coisas aconteceriam” e que a Terra está passando por “dores de parto antes da segunda vinda de Jesus”, afirmou o pastor Elisha Jones, segundo informações da CNN. “Eu absolutamente acho que poderia ser um sinal direto de algo que Deus disse que aconteceria, ou mesmo um precursor para o futuro”, afirmou.

Profecias e o Covid-19

Uma declaração em particular chama atenção na atualidade, dita pelo pastor e evangelista David Wilkerson, em 1986. A profecia teria sido compartilhada pelo evangelista na época com o amigo Dr. Mike Evans:

“Eu vejo uma praga chegando no mundo e os bares, igreja e governos sendo desligados. A praga atingirá Nova York e a agitará como nunca foi abalada antes. A praga vai forçar crentes que não oram a orar de forma radical, a pegarem em suas Bíblias e o arrependimento será o clamor dos verdadeiros homens de Deus no púlpito. E daí sairá um terceiro Grande Despertar que varrerá a América e o mundo”, disse Wilkerson.

Essa revelação teria sido dita a Evans. Em um dos seus livros, Wilkerson ainda teria profetizado um cenário de banalização e imoralidade sexual, algo denunciado nos dias atuais por muitos líderes cristãos.

“Os programas de TV serão da pior espécie. As bancas de revistas estarão saturadas de revistas imundas. A educação sexual nas escolas será reanimada com filmes demonstrando detalhes do ato matrimonial”, afirmou o pregador no livro “A Visão”, de 1973, segundo informações do Guiame.

Fonte: Gospel +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Error